Portal Entropia

logo página inicial portal entropia

Meu filho tem 4 anos e não quer comer nada: como lidar com a seletividade alimentar infantil

Compartilhe:

Seu filho está com 4 anos e recusa-se a comer qualquer coisa? Veja neste artigo como enfrentar o problema da seletividade alimentar em crianças.

A seletividade alimentar é um desafio comum enfrentado por muitos pais. Quando se trata de crianças, pode ser ainda mais complicado, pois elas estão em uma fase de desenvolvimento crucial.

Se você está passando pela situação de ter um filho de 4 anos que se recusa a comer qualquer coisa, saiba que não está sozinho(a).

Neste artigo, abordaremos as possíveis causas desse comportamento e ofereceremos dicas práticas para lidar com a seletividade alimentar infantil.

menina criança cobrindo os olhos com laranja

Causas da seletividade alimentar infantil:

Várias razões podem levar uma criança de 4 anos a não querer comer. É importante destacar que nem sempre se trata de um problema médico. Na maioria dos casos, a seletividade alimentar é uma resposta natural ao processo de desenvolvimento da criança. Alguns fatores que podem contribuir para essa seletividade incluem:

  • Mudanças no paladar:

As papilas gustativas das crianças ainda estão em desenvolvimento, o que pode tornar certos alimentos mais desagradáveis para elas. Além disso, as preferências alimentares podem variar de criança para criança.

  • Texturas e cores:

Crianças em idade pré-escolar tendem a ser sensíveis a diferentes texturas e cores dos alimentos. Eles podem ter dificuldade em aceitar alimentos com texturas “diferentes” ou cores mais intensas.

  • Atenção e controle:

A hora das refeições pode ser aquela hora em que seu pequeno tenta exercer o controle e atrair a sua atenção. Se recusar a comer pode ser uma forma de chamar a atenção ou buscar autonomia.

  • Experiências anteriores:

Experiências negativas relacionadas a alimentos, como engasgos, vômitos ou doenças, podem fazer com que as crianças associem certos alimentos a sensações desagradáveis, tornando-os avessos a esses alimentos no futuro.

menininha triste sentada à mesa de restaurante

Leia também

Seletividade Alimentar: Causas, Consequências e Estratégias para Lidar com o Problema

Doenças Hepáticas e suas Causas: Prevenção, Sintomas e Tratamento

Como a inteligência artificial é aplicada na medicina americana

Dicas para lidar com a seletividade alimentar

Agora que entendemos algumas das causas potenciais da seletividade alimentar infantil, é hora de explorar estratégias práticas para lidar com esse desafio:

  • Ofereça opções saudáveis:

Disponibilize uma variedade de alimentos saudáveis e equilibrados em cada refeição. Isso permite que a criança escolha entre diferentes opções, ajudando-a a desenvolver suas preferências alimentares.

  • Seja um exemplo:

As crianças são influenciadas pelo comportamento dos adultos.

Mostre entusiasmo e interesse por alimentos saudáveis. Comer junto com seu filho e compartilhar suas próprias experiências positivas com alimentos pode encorajá-lo a experimentar novos sabores.

  • Apresente novos alimentos gradualmente:

Introduza alimentos novos ou rejeitados anteriormente de forma gradual. Misture-os com alimentos conhecidos e aceitos pela criança, permitindo que ela se acostume com o sabor e a textura aos poucos.

  • Faça refeições divertidas:

Torne as refeições uma experiência agradável e divertida. Use cores vibrantes, crie formas interessantes com os alimentos e envolva seu filho no processo de preparação da comida. Isso pode ajudar a despertar o interesse dele pelos alimentos.

menina negra sorridente preparando massa para pão

  • Evite pressionar ou forçar:

Não force a criança a comer. Isso pode criar uma relação negativa com a comida e aumentar sua resistência.

Respeite o apetite e as preferências do seu filho, oferecendo uma variedade de opções saudáveis ​​para que ele escolha.

  • Estabeleça rotinas:

Ter horários regulares para as refeições pode ajudar a criar um ambiente mais previsível e confortável para a criança. Evite distrações, como televisão ou dispositivos eletrônicos, durante as refeições para que seu filho possa se concentrar na comida. Isso contribui até mesmo para que as crianças desenvolvam a concentração.

  • Busque ajuda profissional:

Se a seletividade alimentar do seu filho persistir e afetar significativamente seu crescimento e saúde, é importante procurar orientação de um pediatra ou nutricionista infantil. Eles poderão avaliar a situação e oferecer recomendações adequadas.

vista frontal bebe menina com legumes1 Meu filho tem 4 anos e não quer comer nada: como lidar com a seletividade alimentar infantil

Lidar com a seletividade alimentar infantil pode ser um desafio para os pais, mas é importante entender que muitas crianças passam por essa fase.

Com paciência, consistência e uma abordagem positiva, é possível ajudar seu filho a desenvolver uma relação saudável com a comida.

Lembre-se de que cada criança é única, e o processo de aceitação de novos alimentos pode levar tempo.

Esteja presente, ofereça opções saudáveis e busque orientação profissional, se necessário, para garantir que seu filho receba a nutrição adequada para um desenvolvimento saudável.

Referências:

  1. “Fussy Eating in Toddlers and Young Children.” NHS, www.nhs.uk/conditions/baby/feeding-and-nutrition/fussy-eaters/.
  2. Daniels, L. A., & Mallan, K. M. (2017). The feeding practices and structure questionnaire: Construction and initial validation in a sample of Australian first-time mothers and their 2-year olds. International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity, 14(1), 1-11.
  3. Black, M. M. (2017). Children at risk of poor educational outcomes due to early onset malnutrition. In Handbook of Early Childhood Development Research and Its Impact on Global Policy (pp. 305-322). Oxford University Press.

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Carlitos Barbosa
Carlitos Barbosa

Formado em Administração pela FGV, graduando em psicanálise pelo UNINTER e apaixonado por comportamento humano.

Sobre

Disclaimer: Conteúdo Informativo

As informações fornecidas neste blog são destinadas exclusivamente para fins educacionais e informativos e não pretendem ser um substituto para o aconselhamento profissional, diagnóstico ou tratamento. Embora nos esforcemos para fornecer informações precisas e atualizadas sobre saúde mental, não somos profissionais de saúde.

Recomendamos que você consulte um profissional de saúde qualificado antes de tomar qualquer decisão sobre o seu tratamento ou condição de saúde mental. Não ignore conselhos médicos profissionais nem demore na busca por causa de algo que tenha lido neste blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *